Checagens

Brasil – Checamos a corrente sobre suspeito do ataque a Jair Bolsonaro

By on setembro 7, 2018

Verificado por: @OPoderDeEleger

Está circulando no WhatsApp a informação de que Adélio Bispo de Oliveira, detido sob suspeita de ter esfaqueado o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), é filiado ao PT. O Poder de Eleger verificou que a informação é falsa.

O nome do suspeito preso após Bolsonaro ser ferido foi confirmado pela Polícia Militar como Adélio Bispo de Oliveira. A PM também confirmou que ele nasceu em Montes Claros.

Oliveira, porém, não é filiado ao PT.  Ele foi membro do PSOL entre 2007 e 2014, mas atualmente não tem ligação com nenhum partido. No Facebook, o PSOL confirmou que ele foi filiado à sigla e repudiou o ataque.

Não há nenhuma informação pública que indique que Oliveira tenha coordenado a campanha de Dilma Rousseff em Juiz de Fora. Nos dois anos em que ela foi candidata – 2010 e 2014 -, Oliveira ainda era filiado ao PSOL. Além do mais, PSOL e PT foram adversários em ambas as eleições.

 


O Poder de Eleger é um projeto para monitorar informações sobre as eleições no WhatsApp. Ao contrário de outras iniciativas de checagem, nós não só verificamos as correntes, mas também devolvemos a informação por WhatsApp, no formato de gifs e áudios. A ideia é criar uma corrente com a informação verificada no mesmo veículo em que ela circulou originalmente. O projeto, da organização Chicas Poderosas, também está na Colômbia, México e Venezuela. Se quiser encaminhar uma corrente para checagem, ou se quiser receber nossas verificações, clique no link e envie uma mensagem pra gente: http://bit.ly/OpoderDeElegerBR.

Você também pode adicionar nosso número nos seus contatos!

TAGS
RELATED POSTS
Donate
Choose Language
Follow Us
Search
Latest Tweets