America Latina Brasil Jornalismo de investigação

Inclusão, cidadania & gênero, segundo dia do programa de jornalismo de investigaçao no Brasil

By on março 9, 2018

Hoje seguimos com a agenda do dia 2 do programa de jornalismo de investigação, que se vai focar nos diferentes pontos de vistas de diferente minorias. Teremos desde advogadas debatendo sobre o problema de proteção digital e importância do jornalismo em clima de tensão político-social, jornalistas que vivem a realidade do que é reportar desde a favela mostrando esse outro ponto de vista, produtores de cinema, pesquisadores, reporters, roteirista etc.

Falaremos da importância da inclusão de diferentes pontos de vista, de um trabalho colaborativo em vez de puramente competitivo, de uma evolução em rede, em que nos apoiamos e evoluímos quando decidimos juntar forças para caminhar num mesmo sentido.

 

Larissa Ribeiro, ilustradora & graphic designer

Larissa Ribeiro é ilustradora e designer gráfica com sede em São Paulo, Brasil, onde é sócia do Estúdio Rebimboca e diretora de arte da revista feminista independente AzMina.

Graduou-se em arquitetura na FAUUSP (Brasil) com especialização em ilustração de publicações para crianças e adolescentes na Universidade Autônoma de Barcelona e Escola de la Dona (Barcelona). Estudou Visual Design na Universidade de Florença (Itália), e ilustração, tipografia, publicidade e fotografia em um curso de design gráfico na Saint Martin’s College of Art, Londres, Reino Unido.

Mostrou vários livros infantis, incluindo um livro sobre política para crianças (Quem Manda Aqui, Companhia das Letrinhas, 2015) e uma lembrança feminista dos textos da Revista AzMina (Você já é Feminista !, Pólen Livros, 2016). Trabalhou como designer gráfica para muitas editoras e agências de publicidade, onde teve a oportunidade de aprender muito sobre a lógica perversa por trás da produção das imagens que nos atingem todos os dias.

 

Flavia Gamonar, Empreendedora, professora e doutoranda

Empreendedora Cofundadora da agência 321Comm, doutoranda em Mídia e Tecnologia, co-autora do livro best seller “Disruptalks: carreira, empreendedorismo e inovação em uma época de mudanças rápidas” e professora em cursos de pós-graduação na ESPM, USC, SENAC E Unimar.
LinkedIn Top Voices, selecionada como a quarta brasileira que mais se destacou produzindo conteúdos na plataforma e vencedora do Prêmio Digitalks 2017 na categoria Content Marketing.

 

 

 

Erika Zuza, Papo de Mídias

Jornalista profissional há 17 anos, professora de comunicação social há mais de 10 anos e fundou há um ano e meio o Papo de Mídias, projeto que coloca em discussão nossos desafios atuais na comunicação social e digital, em Natal, no Rio Grande do Norte. Por 10 anos atuou no mercado de telejornalismo, passando por diversas emissoras como afiliada Rede Globo e Rede Record no RN. Atualmente trabalha com assessoria de comunicação e consultoria em Media Training (Treinamento de Mídia); Palestrante sobre comunicação social e redes sociais; Assessora de Comunicação e Cerimonial do Tribunal Regional Eleitoral do RN e da SADEF-RN (Sociedade Amigos do Deficiente Físico do RN); Leciono na Pós-graduação em comunicação e marketing digital da Faculdade Estácio Natal e da Faculdade Unifacex. Mestre em Televisão Digital pela UNESP; Especialista em Gestão Estratégica de Sistemas de Informação e em Jornalismo Econômico, ambos pela UFRN.

 

Flávia Lefèvre Guimarães, Advogada da PROTESTE e representante do 3º Setor no Comitê Gestor da Internet no Brasil

 

Advogada e Mestre em Direito pela PUC-SP
Representante do 3º Setor no CGI.br até 2020
Representante dos consumidores no Conselho Consultivo da ANATEL 2006 a 2009 e 2016 a 2017

 

 

 

 

 

 

Clarissa Luz, ELAS inTECH, Advogada de Novas Tecnologias e Empreendedora

Advogada com experiência de 14 anos em renomados escritórios, chegando a sócia, até que decidiu seguir uma carreira com mais propósito. Diplomada em Direito da Tecnologia e Propriedade Intelectual pela University of California Berkeley, 2017. Graduada pela PUC Rio.
Morou no Vale do Silício em 2017, onde atuou como Legal Fellow para o California Lawyers for the Arts, participou da clínica Startups@BerkeleyLaw, cofundou a Berkeley International Association of Law, associou-se ao Blockchain@Berkeley.
Cofundadora da Comissão de Startups da OAB SP Pinheiros.
Membro do Comitê de Blockchain da AB2L – Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs.
Jurada e mentora convidada pelo Banco Inter-Americano de Desenvolvimento (BID) em sua premiação anual para Startups LATAM (Washington/2016 e Miami/2017).
Mentora de diversas associações de empreendedores, como Ínsper, StartSe, InovAtiva e Junior Achievement.
Fundadora do Coletivo ELAS_inTech.

 

Camilla Costa, producer na BBC e embaixadora de Chicas Poderosas Brasil

 

Camilla Costa é embaixadora de Chicas Poderosas no Brasil e jornalista formada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Trabalhou nas redações do jornal A Tarde, da revista Veja e da Folha de S. Paulo. Ganhou dois prêmios Abril de Jornalismo por reportagens feitas para a revista Superinteressante. Trabalha na BBC Brasil, no Serviço Mundial da BBC. Se interessa por quase tudo, mas falta tempo para tanto interesse!

 

 

 

 

 

 

 

Antonia Pellegrino, roteirista doce furia

 

Roteirista premiada pela Academia Brasileira de Letras e Academia do Cinema Brasileira. Escreveu 3 longas metragens (Bruna Surfistinha, Tim Maia, Éden) que, juntos, somam mais de 4 milhões de espectadores. Foi co-autora de cinco novelas e sete seriados, produzidos por canais como TVGlobo, HBO e Multishow, entre 2004 e 2017. Antonia é formada em ciências sociais, tem mestrado em letras e é autora do livro Cem Ideias Que Deram Em Nada. Tem contos em diversas antologias, entre elas Granta Brasil e Portugal e textos publicados no caderno Ilustríssima, revista Vogue, 451 e Piauí, entre outros. Foi colunista das revistas TPM de 2004 a 2017 e também da revista Serafina (Folha de S. Paulo) entre 2011 e 2012. É a realizadora do documentário feminista #PrimaveraDasMulheres, exibido em 2017, no GNT. Atualmente, finaliza seu documentário Insurgência, desenvolve o roteiro do longa metragem “Manas”, sobre abuso e exploração sexual no Pará; está em produção com seu documentário “O Mundo Depois do Fim”, sobre mudanças climáticas. É feminista e editora do blog #AgoraÉQueSãoElas, da Folha de S.Paulo, jornal do qual é colunista. Em abril de 2018 estreia seu programa multiplataforma Blasfêmea, no canal Hysteria, da Conspiração Filmes.

 

Indiana Siqueira, foi candidato a Vereador do Rio de Janeiro – RJ pelo PSOL nas Eleições Municipais de 2016

 

 

Puta, vegana, travesti e Suplente Vereadora, Indianara Siqueira é ativista em defesa da visibilidade e cidadania trans, de todas as mulheres e pessoas LGBTIQs. IndianareSE!

 

 

 

 

 

 

 

Ana Clara Toledo, Nossas

 

 

Nossas é um laboratório de ativismo que cria novas formas das pessoas influenciarem e ressignificarem a política. Ana Clara vem apresentar a Beta, um bot feministas que usa tecnologia para defender os direitos das mulheres.

 

 

 

 

 

 

Cris Bartis, Mamilos Podcast

 

Cris é problem solver communication que faz parte da equipe fundadora de Mamilos Podcast, jornalismo de peito aberto. Com Juliana Wallauer e Cris Bartis.

 

 

 

 

 

 

 

Daiene Mendes, Favela em Pauta

Daiene Mendes tem 28 anos e cursa o último período de Jornalismo na UNISUAM. Moradora do Complexo do Alemão, Aos 15 anos participou da VI turma no curso de formação de monitores para museus e centros de ciência, um projeto social voltado para jovens moradores de favela realizado na Fiocruz que possibilitou a construção do repertório necessário para ultrapassar as realidades pré estabelecidas estruturalmente para uma jovem moradora de uma das favelas mais perigosas do Brasil. Aos 18 anos iniciou sua carreira profissional na área de licitações e contratos. Aos 21 anos, Daiene participou do I intercâmbio em Jornalismo Comunitário organizado pelo Consulado Geral dos EUA no Brasil realizado em Nova York, tornou-se diretora executiva na ONG voz das Comunidades sendo diretamente responsável pelo processo de estabelecimento do grupo como ONG e viabilizando projetos como o retorno da impressão e distribuição do Jornal Impresso com tiragem de 10 mil exemplares, além de criação, escrita e captação de recursos para realização do projeto #FalaJovem.
Durante sua graduação em jornalismo, foi estagiária no tabloide carioca – Jornal ODia e na comunicação da Anistia Internacional do Brasil, hoje, escreve periodicamente para o Jornal Inglês – The Guardian.
Em 2017, fundou com outros dois amigos, o portal @FavelaEmPauta, trabalhando ferramentas de jornalismo de dados e fact-checking para matérias relacionadas às favelas cariocas. No mesmo ano, ela venceu o prêmio Universitário Augusto Motta e construiu a campanha #DaieneVaiProCanadá, arrecadando mais de 17 mil reais em apenas 1 semana.
Atualmente, conduz de forma independente, o Projeto Favelê – de incentivo à leitura – produzindo ações que acredita transformar a si mesma e o contexto em que vive, contribuindo na mudança da realidade que se vive nos becos e vielas do conjunto de favelas do Alemão.

 

Cecilia Olliveira, Jornalista, Editora do The Intercept Brasil e Idealizadora do Fogo Cruzado

Jornalista, editora contribuinte do The Intercept Brasil, especialista em Segurança Pública e Administração Pública com ênfase em Gestão Social. Foi consultora da Anistia Internacional, atuando como pesquisadora e gestora de dados do aplicativo Fogo Cruzado, hoje gerido pelo Instituto Update. Foi ainda consultora de Comunicação da LEAP Brasil e Assessora de Comunicação do PRVL (Programa de Redução da Violência Letal contra Adolescentes e Jovens), uma Iniciativa do Observatório de Favelas realizada em Conjunto com o UNICEF e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

 

Daniela Pinheiro, diretora de redação da “Época” e board director de Chicas Poderosas

Daniela já teve trabalhos mencionados por veículos como The New York Times, The Guardian, The Economist e The Financial Times. Venceu quatro vezes o Troféu Mulher Imprensa e três vezes o Prêmio Comunique-se como a melhor jornalista de mídia escrita do país”, cita Frederic Kachar, destacando que a jornalista nomeada diretora de redação da Época conquistou trinca de troféus no “Oscar do Jornalismo Brasileiro”. As vitórias de Daniela Pinheiro na premiação organizada pelo Grupo Comunique-se foram conquistadas em 2012, 2015 e 2017.

 

 

Olivia Sohr, Chequeado

Vamos ter também o workshop de Fact Checking com Oli Sohr que vem da Argentina explicar e ensinar a metodologia de Chequeado. Chilena e socióloga se tornou jornalistas. Trabalhei no Checking desde a sua criação e vejo tudo em verdade e falso.

 

 

 

 

 

TAGS
RELATED POSTS
Donate
Choose Language
Follow Us
Search
Latest Tweets