8 lições de como contar histórias em animação para notícias digitais

Loren Giordano, uma chica poderosa da Guatemala, esteve no WNYC no verão de 2017 como bolsista das Chica Poderosas com Dow Jones, em colaboração com ICFJ. Aprendeu muito, e um de seus aprendizados foi "8 lições de como contar uma história em animação para digital media"

Lição # 1: Compreenda a visão do projeto.

Para criar um poderoso video explicador ou gráfico de movimento em geral, você precisa ter uma visão para o projeto antes mesmo de começar a animar. Saber o que deseja realizar com a animação também a ajudará a escolher o estilo e os elementos certos. Pergunte-se a quem o projeto é direcionado, qual é o propósito do projeto, o estilo que é necessário e qualquer outra coisa que você precisa saber para trazer  vida a essa visão.

Lição # 2: Faça sua própria pesquisa.

Mesmo que os repórteres ou outras pessoas na sala de redação lhe forneçam informações sobre o artigo sobre o qual você precisa fazer a narração, eu recomendo encarecidamente fazer sua própria pesquisa e analisar recursos diferentes para se familiarizar com a história e o assunto, e talvez pense em outros ângulos ou idéias para incorporar a história.

Lição # 3: Defina uma base forte a partir do script.

Trabalhe em um script que seja forte e bom o suficiente para que NÃO seja alterado mais tarde durante os estágios de animação, ou que possa ter pequenos detalhes para corrigir, mas não estrutural.

Lição # 4: Trabalhe duro e rápido no desenvolvimento de seus esboços.

Para se certificar de que sua ideia é a certa antes de começar sua animação, você deve aproveitar o tempo para storyboard do projeto. Isso significa esboçar cada cena para obter uma visão geral de como eles se juntarão. Mas se o tempo não estiver a seu favor, sugiro que este estágio de esboço seja muito áspero e rápido, não colocando detalhes demais nisso. Você poderá ver todo o projeto apresentado à sua frente para que você possa identificar erros e melhorar o fluxo de sua mensagem animada de forma mais rápida. Também permitirá que você receba comentários mais rápidos de repórteres ou editores para saber se as imagens são as corretas ou se alguém poderia mal interpretá-las; pode até ajudá-lo a obter ideias sobre as ilustrações a serem feitas para certas partes da história.

Lição # 5: Mantenha a mensagem clara e simples.

Ao fazer gráficos em movimento, normalmente você tenta transmitir uma determinada mensagem ou persuadir rapidamente os espectadores, às vezes até os educar. Como esses vídeos precisam comunicar diferentes mensagens importantes, eles precisam ser fáceis de entender. Esforce-se pela clareza e simplicidade. Para realizar isso, recomendo tentar entrar na mente de uma criança que não conhece nada sobre a história. O público pode não saber muito sobre tecnicismos ou dados muito específicos da história. Mantenha-o simples para que seja mais fácil de entender e digerir. Isso também a ajudará a tornar fazer com que este vídeo seja visto e entendido por um público mais amplo.

Lição # 6: tenha um propósito quando estiver animando.

A necessidade de gerar impacto ou fazer uma animação deslumbrante pode tentá-la a adicionar elementos apenas por diversão. Ao fazê-lo, você pode confundir o público e interromper o fluxo do projeto. Considere que a mensagem deve ser clara e fácil de entender, e o fluxo da animação deve ser suave, sem costura e atraente. Certifique-se de que cada elemento serve o propósito geral do projeto e não é adicionado “apenas porque”.

Lição # 7: mantenha seus arquivos organizados desde o início.

Esta é uma regra básica de animação, mas eu ainda quero fazer um forte lembrete para mantê-lo presente enquanto você trabalha. Lembre-se de que ter uma nomenclatura lógica e organizada para seus arquivos irá ajudá-lo a economizar muito tempo. Também tornará mais fácil no caso de algo precisar ser ajustado ou substituído, ou se o repórter quiser inserir algo na animação no último minuto e você precisa reorganizar arquivos diferentes.

Lição # 8: Finalize com um pensamento, uma pergunta ou uma afirmação forte.

Deixe o público querendo saber mais, ou talvez cultivar uma dúvida que fará com que eles desejem investigar mais sobre a história. O fechamento deve ter tanto impacto quanto o começo, não deixe todo o seu trabalho duro cair no final, torne-o forte!