Informação Sismo Mx, uma história colaborativa de jornalismo de dados

Por Lu Ortiz traduzido por Mariana Santos

A série de terremotos que destroçaram o México de costa a costa aconteceu no período de 10 dias em setembro de 2017. Dias em que nós passamos lendo e vendo a devastação on-line e off-line.

Chicas Poderosas uma comunidade que tem capítulos em mais de 10 países na América Latina e listas de whatsapp onde dezenas de mulheres jornalistas, repórteres, designers, profissionais de comunicação e mídia compartilham informações, dicas, histórias e idéias.

Os principais tópicos discutidos nas nossas listas foram: Feminicidios na América Latina, Igualdade de Pagamento, Segurança Digital e Cibercriminalidade baseada em gênero. Todos esses tópicos nos afetam como mulheres e nos preocupam com profissionais da mídia e se comunicam.

No entanto, as últimas semanas no México estavam abordando uma questão diferente. Onde eu encontro … quando se sabe … Onde posso ficar … Quem sabe quem / onde / o quê / por que / quando?

A necessidade de centralizar a informação que foi gerada tão rapidamente, com as pessoas que estavam publicando e partilhando em mídias sociais estava desafiando nossa comunidade como pessoas e como profissionais. O volume cresceu muito rápido, assim como as necessidades. Edifícios destruídos, pessoas presas em escombros, parentes e vizinhos que queriam ajudar e a mídia presa entre os dois cenários.

Por isso, na manhã do dia 20 de setembro, no Autocarro Decamp # 66, viajando da NJ para a cidade de Nova York e conversando com Chicas em toda a América Latina, surgiu o #Infosismomx: http://ow.ly/EkMu30fw2VP

Inicialmente, uma folha pública, um documento do google comum, aberta, onde as pessoas poderiam começar a inserir informações nas seguintes categorias:

– Urgente

– Necessidades de Voluntários

– Oferta de Voluntários

– Mapas

– Em formação

– Doações e coleções

– Pessoas que procuram pessoas

A questão do carimbo de horário e da verificação veio algumas horas mais tarde, enquanto outras incríveis equipes de tecnólogos e voluntários de outras organizações começaram a partilhar seus esforços em linha. Todos nós decidimos confiar uns nos outros e inserir no nosso documento original documentos verificados. Sandra Barrón, juntou-se à equipe da Verificado19S e foi a chave para garantir que a informação fosse partilhada com os mais altos padrões de verificação e precisão.

A questão do design e da página da internet chegou naquela noite e Eliana Vaca (aka Uva) começou a trabalhar no nosso logotipo e página. Uva estava pronta no dia seguinte com infosismomx.wordpress.com.

Búsquedas.net da Argentina ajudou-nos a organizar os padrões do banco de dados e voluntários de todo o continente começaram a inserir informações.

Chicas Argentina, México, Colombia foram envolvidas e partilharam a informação, preenchendo o documento em linha juntando a hashtag #BrigadaDigitalMX

Uma semana neste esforço colaborativo envolvendo dezenas de mulheres jornalistas e comunicadores, o infosismomx está evoluindo para a próxima fase. Depois de uma semana de atualização ao vivo e compartilhamento constante, decidimos fazer uma pausa. Atualizamos a página uma vez por dia, limpar as categorias e verificar o que fazemos durante o dia.

Atração global, interseccionalidade, liderança feminina e força nas tecnologias são os ingredientes para esse projeto virtual que faz ondas no ecossistema digital.

Obrigado, Chicas Poderosas, Chicas México, Mariana Santos, Uva Vaca, Kennia Velázquez, Sandra Barrón, Mauricio Viola, Susana Chacón, Belén Arce e os voluntários que povoam a página todos os dias.

¡Ayúdanos a compartir esta historia!

Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email