Como podemos transformar as lideranças através da colaboração, diversidade e inovação?

50 meios de comunicação e organizações sem fins lucrativos aprendem a criar espaços de trabalho mais inclusivos e diversos.

No dia 26 de maio começou a segunda edição da Incubadora de Liderazgo, um programa criado por Chicas Poderosas com apoio de Google News Initiative, buscando contribuir com a transformação das dinâmicas de trabalho de 50 meios de comunicação e organizações sem fins lucrativos da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal. 

Durante cinco semanas, representantes destes meios e organizações receberão ferramentas teóricas e práticas para repensar os modos e espaços nos que se refere ao jornalismo.  Aproveitando o cenário digital em que o programa se realiza, as pessoas participantes aprenderão das  experiências dos colegas que exercem a profissão em diferentes territórios como: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, México, Peru, Portugal, Porto Rico, Panamá, Paraguai, República Dominicana, Uruguai, Venezuela. 

Para esta edição mais de 180 meios e organizações sem fins lucrativos se inscreveram na convocatória do dia 19 de abril à 17 de maio de 2022. Chicas Poderosas selecionou os seguintes 50 meios e organizações sem fins lucrativos para participar do programa:

  1. Revista Anfibia (Argentina)
  2. CN5 (Argentina)
  3. Fundación Favaloro (Argentina)
  4. Big Bang News (Argentina) 
  5. ARTEAR (Argentina)
  6. Publicitarias (Argentina, Chile, Equador, Guatemala, México, Peru, Dominicana)
  7. Página Siete Plus (Bolivia)
  8. CIEDS (Brasil)
  9. Comitê Chico Mendes (Brasil)
  10.  Gênero e Número (Brasil)
  11.  Brasil de Fato (Brasil)
  12.  Alma Preta Jornalismo (Brasil)
  13.  O Joio e Trigo (Brasil)
  14.  Fundación Educación 2020 (Chile)
  15.  Red de jornalistas Migrantes (Chile) 
  16.  La Voz de Maipú (Chile)
  17.  El Tiempo (Colômbia)
  18.  Fundación para la Libertad de Prensa  (Colômbia)
  19.  Cerosetenta  (Colômbia)
  20.  Fondo Acción (Colômbia)
  21.  Asociación para el Progreso de la Dirección (Colômbia, Equador, Espanha, Peru, Portugal)
  22.  El Mundo.cr (Costa Rica) 
  23.  Violeta Warrior de Ipas CAM (México)
  24.  Divergentes (Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Nicaragua) 
  25.  El Toque (Cuba)
  26.  Wambra medio comunitario (Equador)
  27.  Diario El Mercurio (Equador)
  28.  Revista Factum (El Salvador)
  29.  La Prensa Gráfica (El Salvador)
  30.  Dromómanos (El Salvador, Espanha, México, Peru)
  31.  Reporteros Sin Fronteras (Espanha)
  32.  Frontline Freelance (México)
  33.  Ciencia UNAM (México)
  34.  Ruido en la Red (México)
  35.  Instituto Mexicano de la Radio (México)
  36.  Reporte Indigo (México)
  37.  Homosensual (México)
  38.  La-Lista (México)
  39.  RPP Noticias (Peru)
  40.  La República (Peru)
  41.  aborda.pt (Portugal)
  42.  Metro (Porto Rico)
  43.  Agencia EFE (Regional)
  44.  El País (Uruguai)
  45.  El Pitazo (Venezuela)
  46.  Diario La Prensa de Lara (Venezuela)
  47.  Espacio Público (Venezuela)
  48.  Diario Récord (República Dominicana)
  49.  CIMUF (Panamá)
  50.  Liv media (Paraguai) 

Entre maio e junho, 2 ou 3 pessoas representantes por meio ou organização participarão de palestras e workshops em 4 módulos: Liderança, Colaboração, Diversidade e Inovação.

  • Na semana de 26  al 31 de maio  iniciamos com o módulo sobre liderança, na qual os  permitiu conhecer como  exercem a liderança, repensar os cargos para construir espaços compartilhados, colaborativos e comunitários.  Neste módulo participaram Denise Mota (Brasil), jornalista com mais de 25 anos de profissão e editora de AFP e Alejandra Higareda (México), jornalista com 10 anos de experiência na indústria editorial digital, fundadora e diretora de Malvestida
  • Na semana de 31 de maio à 2 de junho continuamos com o módulo de colaboração, onde  refletiram sobre os fluxos e as dinâmicas de trabalho. Trabalhamos  com ferramentas e novas habilidades para criar equipes baseadas no trabalho colaborativo tanto a nível interno como a externo. Neste módulo compartilharam suas experiências Marina Walker (Argentina), uma das líderes da  investigação jornalística global dos Panamá Papers e editora executiva de Pulitzer Center; também Marcela Turati (México), jornalista com cobertura de direitos humanos, especializada nas vítimas da  narco violência e co-fundadora da Red jornalistas de a Pie; Miriam Moreno Bellido (España), psicóloga Industrial com máster em Inteligência Emocional e Edilma Prada Céspedes (Colômbia), editora intercultural, jornalista de investigação e diretora e fundadora de Agenda Própria.
  • Na semana de 13 à 17 abordaremos o módulo de inovação. Buscando construir uma definição própia  desde o prático, aprenderão estratégias e ferramentas para mudar o foco do trabalho e las narrativas, conhecendo novos formatos e outras formas de financiamento. Participarão deste módulo  Ximena Villagrán (Guatemala), jornalista de dados e coordenadora de Projetos e Impacto em Maldita.es; Diana Salinas (Colômbia), jornalista, literaria e co-fundadora de Cuestión Pública; tambem Chani Guyot (Argentina), fundador e CEO de Red/Acción; María Quinzio (Argentina), diretora de estratégia em FIBRA de Red/Acción, e Sebastián Auyanet (Uruguay), consultor de meios e responsável dos canais de NowThisNews Español.
  • Para finalizar, a semana de 20 à 24 de junho antecipamos  o encerramento com uma palestra surpresa  com especialistas que conversarão sobre como desmistificar a figura do líder: romper com estruturas verticais e amplificar as vozes.

Ao final dos workshops e palestras, os meios e as organizações participarão de um hackathon de dois dias com o objetivo de criar formas colaborativas e soluções para os desafios enfrentados por seus meios ou organizações, que estão relacionados aos quatro temas abordados e desenvolvidos ao longo do programa.

Além disso, durante o programa, como eixo transversal, o que normalmente fica de fora será colocado no centro: saúde mental, desgaste físico e emocional e autocuidado. Para isso, a Chicas Poderosas criou uma aliança com a The Self Investigation, organização especializada nestas questões. Quem participar da Incubadora de Lideranças também terá acesso gratuito a todo o conteúdo do curso que esta organização ministrará.

Também ao longo do programa, será desenvolvido um eBook que será construído por meio de pesquisas e entrevistas com cada uma dos meios e organizações participantes para saber mais sobre como a diversidade, liderança, colaboração e inovação são implementadas em seus trabalhos. ; incluindo suas experiências no programa. Este livro digital será gratuito e será distribuído no ecossistema midiático da América Latina e Caribe, Portugal e Espanha.

Este programa busca mudar a dinâmica do trabalho por meio de uma liderança inovadora que promova a colaboração, a diversidade e a inclusão. Hoje é preciso repensar os espaços de trabalho, quem os integra e os vínculos que são gerados para promover espaços seguros, colaborativos e representativos para mudar narrativas e transformar realidades.

¡Ayúdanos a compartir esta historia!

Twitter
WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Email